Sábado, Abr 27 2013

 

Depois de ter apreendido o genuíno significado do conteúdo do Pai Nosso, podemos retroceder delineando algumas características. Isso pode nos ajudar a entender que a relação da criatura com Deus não é complicada, mesmo que pareça impossível.

 

No Pai Nosso não há traço de prolixidade. Os pedidos são breves, as palavras são concisas e o seu conteúdo é de uma profundidade abissal. Com esta oração, Jesus desejou ensinar-nos como Deus deseja receber a oração. Indica o modo correto ou, se assim o desejar, a disposição interior com a qual devemos estar diante de Deus.

O Pai Nosso é uma oração rica de conteúdo. São Cipriano o considera um “compêndio da doutrina celeste”, onde “nada foi esquecido daquilo que sabemos e podemos pedir”, seja referindo-se a Deus ou em relação ao homem (De dominica oratione, 8). Devemos, portanto, considerá-la uma oração completa em si mesma.

 

Terça, Jan 15 2013

 

A última invocação do Pai Nosso fala do “mal”. É uma palavra que pela indeterminação deixa o caminho aberto a duas interpretações.

 

 

Os três últimos pedidos do Pai Nosso interagem uns com os outros. A súplica do perdão vem integrada à da superação das tentações ou provas, completada com a da liberação do mal. Esta última compreende também, de certa maneira, os antecedentes, porque, libertos do mal, somos capazes de realizar o conteúdo dos pedidos, que contêm a santificação do nome de Deus, a vinda do Seu Reino e o cumprimento de Sua vontade.

 

Segunda, Dez 10 2012

 

Depois da invocação para remissão dos pecados, Jesus nos convida a suplicar ao Pai para que nos auxilie a superá-las.

O pedido “não nos deixeis cair em tentação”, como o recitamos, é ambíguo pelo fato que nos faz imaginar que seria Deus a nos induzir à tentação. Interpretação já rejeitada por São Giacomo que diz: “Ninguém, ao ser tentado, deve dizer: ‘É Deus que me tenta’, pois Deus não pode ser tentado pelo mal e tampouco tenta a alguém. Antes, cada qual é tentado por sua própria concupiscência, que o arrasta e seduz” (Tg 1,13-14), mas isso não o priva da responsabilidae pessoal.

A locução atual, inserida na liturgia da Missa, diz: “Não nos deixeis cair em tentação”. É uma súplica dirigida ao Pai para pedir que o peso da tentação seja proporcional às nossas forças, para não sucumbirmos.

 

Sábado, Nov 03 2012

 

O suprimento do corpo é necessário, mas precisamos também restabelecer a ordem dentro de nós mesmos, liberando-nos da desarmonia, tornando-nos devedores diante de Deus e do próximo. É lógico, então, que no Pai Nosso, a invocação do pão seja seguida pela da remissão das nossas dívidas, o que somente Deus pode solucionar por meio do perdão.

 

A redação de Mateus fala de uma maneira metafórica do perdão das “faltas” (Mt 14-15), a de Lucas, mais realista, do perdão dos “pecados” (Lc 11,4). Deus não exige de nós uma restituição, porque a dádiva do seu amor é gratuita e pode ser acolhida ou recusada.

 

Quarta, Out 10 2012

 

Nos três primeiros pedidos do Pai Nosso fala-se a Deus, mas sob a perspectiva do homem, nos quatro pedidos seguintes fala-se do homem que se dirige a Deus para invocar por ajuda.

 

 

Sobre o significado deste “pão”, existem interpretações diferentes entre os estudiosos da Sagrada Escritura. Trata-se somente do alimento material, do qual o homem necessita no dia a dia ou do “pão para o dia que ainda vem (=para o amanhã)” até incluir na invocação também o pedido da dádiva de um novo pão futuro, essencial, oferecido pelo Senhor na Eucaristia como antecipação do banquete do Reino? São duas as principais interpretações contidas nesse debate.

 

Sexta, Set 14 2012

 

Para compreender o significado do terceiro pedido do Pai Nosso, que é exclusivo da redação de Mateus, devemos refletir sobre o significado da vontade de Deus no contexto bíblico e o seu cumprimento por nós.

 

Observando a tradição do Antigo Testamento compreende-se que fazer a vontade de Deus equivale a observar os mandamentos e colocá-los em prática na vida cotidiana. No Novo Testamento a relação com Deus e com a sua vontade é colocada sobre as novas bases de Jesus. Tudo o que está comprometido com o pecado tem necessidade de ser restaurado em Cristo. São Paulo afirma que nós estamos imersos em um projeto de salvação de Deus, que é realizado pelo seu Filho unigênito, Verbo encarnado.

São Paulo sintetiza o objetivo do universal projeto divino nestes termos: Deus “quer que todos sejam salvos e cheguem ao conhecimento da verdade. Pois há um só Deus e um só mediador entre Deus e a humanidade: o homem Cristo Jesus, que se entregou como resgate por todos” (1 Tm 2, 4-6). Na sua primeira carta aos Tessalonicenses (4,3) o apóstolo recordava-os que “esta é a vontade de Deus, a vossa santificação”.

 

Sábado, Ago 04 2012

O segundo pedido do Pai Nosso espera que venha o reino de Deus. É uma invocação inspirada pelo desejo de que este reino já iniciado em nós, como premissa nesta vida, alcance a sua plena realização na beatude eterna. O pedido nos convida a refletir sobre a relação entre o reino de Deus e o Evangelho, sobre o significado deste reino e o que representa para nós.

 

Sábado, Ago 04 2012

“Oremos, então, irmãos, como Deus nosso Pai nos ensinou. Orar a Deus, com suas palavras, é uma oração amigável e familiar, que faz chegar aos seus ouvidos a oração do Cristo. Que o Pai reconheça, quando oramos, as palavras do Seu Filho; Ele que habita dentro do nosso coração, esteja também em nossa voz” (S. Cipriano, Tratado sobre o Pai Nosso, cap. 3).

 

Quinta, Abr 26 2012

Após a invocação inicial, o primeiro pedido do Pai Nosso suplica a Deus para que seu nome seja santificado. Mas o nome de Deus não é por si mesmo santo, pela sua referência direta a Deus, que é Santo em essência? Como deve ser entendida esta súplica? O que exprime?

Quarta, Abr 25 2012

Pronunciar o nome Pai na oração significa, para nós cristãos, reconhecer que Deus Pai é o princípio sem princípio e o fim da existência de todo homem e de toda a criação. Somente Dele, plenitude de amor, brota um fluxo vital que se espalha sobre o Filho e sobre o Espírito Santo e, por consequência sobre o universo.