O Boletim Salesiano

 

O Boletim Salesiano, fundado por Dom Bosco em 6 de fevereiro de 1877, atualmente é publicado no mundo todo em 55 edições e 29 línguas, com uma tiragem estimada em cerca de 2 milhões de exemplares no total.

O BS em língua portuguesa é publicado desde 1902 e, no Brasil, incentiva e divulga o carisma salesiano a partir das características culturais e sociais do país.

 

O caminho de uma ideia

Falando aos Salesianos Cooperadores, em 6 de fevereiro de 1877, e vislumbrando o desenvolvimento desta associação de leigos e o da Congregação, Dom Bosco dizia: “Ficou estabelecido que deverá ser impresso um Boletim que será como um jornal da Congregação... Será um Boletim periódico funcionando como um elo entre os Cooperadores e os Irmãos Salesianos”. Anos depois, em 1883, Dom Bosco afirmava: “Devemos difundir o BS como um periódico público... ele é escrito para nós e para os cooperadores”.

Lançado oficialmente em Turim, Itália, em agosto de 1877, com o título provisório de “Bibliofilo cattolico ovvero Bollettino Salesiano mensuale”, tinha o único objetivo de respaldar a Associação dos Salesianos Cooperadores, isto é, motivá-la sempre mais na perspectiva espiritual e envolve-la com as questões dos jovens mais carentes. A primeira edição publicada por Dom Bosco foi de alguns milhares de cópias.

Os primeiros números do Boletim Salesiano foram cuidados pessoalmente por Dom Bosco. Sentindo a importância deste veículo de comunicação, Dom Bosco destina como encarregado o talentoso e polêmico escritor padre Giovani Bonetti.

Dom Bosco logo reafirma a finalidade do BS: “O de fazer conhecer as nossas coisas e fazê-las conhecidas no seu verdadeiro sentido... o Boletim servirá para obter os recursos que precisamos... será o principal sustento de nossas obras... é necessário divulga-lo para todos e gratuitamente”.

Nos inícios não faltaram questionamentos, contudo, o padre Ceria, grande biógrafo e amigo de Dom Bosco, sintetiza os sentimentos do fundador dizendo que ele “considerou o Boletim como o melhor meio de propaganda salesiana; ele intuiu que um bom periódico seria, no futuro, o mais eficaz dos púlpitos”.

Após a morte de Dom Bosco, em 1888, o Boletim sempre esteve na pauta das decisões e encaminhamentos dos Salesianos. O padre Miguel Rua, primeiro sucessor de Dom Bosco, deu grande impulso ao BS: passou a ser publicado em nove línguas, inclusive em português, atingindo a significativa tiragem de 300 mil exemplares. Até a Segunda Guerra Mundial, o Boletim era traduzido integralmente para as outras línguas.

Com a Segunda Guerra, o BS foi forçado a descentralizar-se. Desta oportunidade nasceu a sua diversidade, conservando, ao mesmo tempo, sua unidade.

A partir de 1971, com o Capítulo Geral Especial dos Salesianos, o BS consolida sua identidade como “Publicação oficial para a Família Salesiana”.

Hoje, o BS é impresso em 29 línguas, com 55 edições diferentes, e é lido em mais de 150 países.

Fonte: Boletim Salesiano Brasil – Diretrizes.

 

 

O Boletim Salesiano no Brasil

No mês de fevereiro de 1902, a língua portuguesa revela para brasileiros, portugueses e “colônias” lusitanas a riqueza e a pujança de uma obra que tinha e teria uma longa história para contar: o Boletim Salesiano.

A primeira edição em português apresenta de forma elegante e cuidadosamente preparados todos os ingredientes do precioso menu de iniciativas salesianas presentes na Europa e na América: textos ricos de detalhes e de vida e fotos de altíssima definição são alguns indicadores da qualidade desta comunicação.

Ao folhear o primeiro número (Anno 01, n. 01 de fevereiro de 1902) e coteja-lo com os seguintes, nos deparamos com uma realística epopeia de comprometimentos com a vida: crônicas, testemunhos de dedicação de missionários, relatos de educadores, jovens, leigos e religiosos.

Para além de um simples depositório de curiosidades culturais “exóticas” ou relatos triunfalistas, este veículo de comunicação torna-se um verdadeiro arauto revelador e socializador de projetos de vida dedicados ao bem do próximo e da defesa da vida de tantos povos diferentes: basta conferir como eram apresentadas as “missões”.

Durante o difícil período da Primeira Guerra, a publicação o BS é interrompida. Contudo, logo em seguida, em edição bimestral, ele torna a circular com regularidade e melhor qualidade gráfica.

A interrupção de sua publicação se apresenta, durante a Segunda Guerra Mundial, de forma mais duradoura: foram quase dez anos! Desta situação desfavorável, nasce a oportunidade, bem aproveitada, para diversificar e descentralizar o Boletim Salesiano.

Em 1950 o Brasil inicia a publicação do BS brasileiro: ano 1, número 1 elaborado, diagramado e impresso em São Paulo, sob a direção do inspetor, padre João Resende, portanto, deixando de ser apenas traduzido para o português e assumindo uma fisionomia brasileira, mantendo uma relação de identidade com o carisma salesiano.

Do ano 1957 até 1972, passou a ser chamada de revista salesiana. Esta mudança desejava superar o sentido redutivo que a palavra boletim conferia a esta publicação no Brasil. No início de 1972, volta ao nome original: Boletim Salesiano, permanecendo até hoje.

Por muito tempo, a edição brasileira contou com o esforço e boa vontade de um diretor. Atualmente seu conselho editorial é composto por Salesianos de Dom Bosco (SDB), Filhas de Maria Auxiliadora (FMA) e Salesianos Cooperadores (SSCC).

Fontes: Boletim Salesiano Brasil – Diretrizes, “Boletim Salesiano: a serviço da vida!” (Boletim Salesiano ano 62 – N. 1 – janeiro-fevereiro de 2012).

 

Identidade

Com a edição definitiva das Constituições dos Salesianos de Dom Bosco (SDB), em 1984, o artigo 41 dos Regulamentos oferece a identidade e a atualidade do BS.

“O Boletim Salesiano, fundado por Dom Bosco, difunde o conhecimento do espírito e da ação salesiana, especialmente missionária e educativa. Interessa-se pelos problemas dos jovens, encoraja a colaboração e procura despertar vocações. É, além disso, instrumento de formação e vínculo de unidade para os diversos grupos da Família Salesiana. É redigido em várias edições e línguas, conforme as diretrizes do Reitor-Mor e do seu Conselho”.

O documento final do XXIV Capítulo Geral dos SDB (1996) descreve a identidade do BS com estas palavras: “Dom Bosco concebeu o BS como um instrumento de ligação, animação, formação e envolvimento de tantos leigos, que olhavam com simpatia sua obra”.

O padre Antonio Martinelli, como Conselheiro Geral dos Salesianos para a Família Salesiana e Comunicação, afirmava: “O BS é uma expressiva presença salesiana; vale mais do que uma obra (colégio, paróquia etc.)”.

A programação do Reitor-Mor e de seu Conselho para os anos 1996-2002 assumiu a tarefa de encaminhar a renovação do BS, a partir de dois critérios básicos: o BS deve ser considerado como órgão institucional da Congregação e estar situado dentro do Sistema de Comunicação da Congregação.

Este caminho de renovação continua sendo processado em vários ritmos e tempos.

O documento do Sistema Salesiano de Comunicação Social, publicado em 2011, define que a função do Boletim Salesiano é: “Difundir o espírito de Dom Bosco, fazer conhecer a obra salesiana e suas necessidades, contatar e animar os diversos grupos da nossa Família, promover as vocações, fazer crescer o movimento salesiano e encorajar a colaboração com a missão”.

Em relação ao funcionamento, o documento frisa que:

  • - O BS é redigido de acordo com as orientações do Reitor-Mor e seu Conselho em várias edições e línguas como órgão de toda a Congregação Salesiana, e não como órgão particular para cada Região.
  • - As numerosas edições têm como finalidade encarnar nas diversas áreas culturais os valores da única vocação salesiana.
  • - O BS é uma revista em função da missão, dirigida à opinião pública mais do que a instituição. Isso implica a capacidade de situar-se no contexto da realidade que as pessoas e a Igreja vivem hoje e para oferecer uma leitura salesiana dos fatos, particularmente daqueles que se referem à juventude e à educação.

Fontes: Boletim Salesiano Brasil – Diretrizes; Sistema Salesiano de Comunicação Social.

 

Objetivos e linha editorial

Os objetivos do Boletim Salesiano são: difundir a espiritualidade juvenil salesiana para a própria Família Salesiana e para a sociedade em geral; divulgar e animar a ação educativo-pastoral da Família Salesiana; ampliar as parcerias e apoios; e captar recursos para a missão salesiana.

Em relação à linha editorial, o BS é um instrumento de formação, informação, divulgação e marketing da ação salesiana. Portanto, sua linha editorial está voltada para o compromisso com a missão evangelizadora e educativa salesiana.

O enfoque do Boletim Salesiano deve ser sobre o institucional e não sobre a instituição. Portanto, o foco não deve estar sobre a Congregação Salesiana ou sobre os outros grupos da Família Salesiana, mas sobre as soluções e o compromisso desses grupos com a educação e a evangelização de crianças, adolescentes e jovens, sobretudo os mais pobres.

Padre Egídio Viganó, sétimo sucessor de Dom Bosco, em 1988, dizia aos diretores do BS: “O Boletim Salesiano é uma revista de um carisma, não um simples noticiário de fatos superficiais. O BS informa, comunica, faz perceber a vitalidade do movimento salesiano por meio da reflexão sobre a realidade, para colaborar com inteligente tempestividade para uma nova evangelização”.

Na verdade, o BS deve ter um olhar salesiano sobre o mundo e um olhar sobre o mundo salesiano.

Fonte: Boletim Salesiano Brasil – Diretrizes.

 

Diretor e Conselho Editorial

O diretor do Boletim Salesiano é nomeado pela Conferência das Inspetorias dos Salesianos de Dom Bosco do Brasil (Cisbrasil) por três anos, sendo cabível recondução.

Compete ao diretor coordenar o Conselho Editorial e assegurar, de forma dinâmica, a identidade do BS. Cabe também ao diretor orientar, acompanhar e responder pelo BS em todas as suas fases de elaboração e distribuição.

O Conselho Editorial é formado atualmente por três representantes dos Salesianos de Dom Bosco (SDB), três representantes das Filhas de Maria Auxiliadora (FMA), pelos referentes para a Comunicação Social no Brasil das FMA e dos SDB e por um representante dos Salesianos Cooperadores (SSCC).

A principal tarefa do Conselho é assessorar o diretor do BS na realização de sua finalidade, como também definir a linha editorial e gráfica do BS.

Na realização desta tarefa, conselheiros e conselheiras se empenham especialmente na divulgação, elaboração das pautas e avaliação constante do BS. Diretor e Conselho Editorial são assessorados por profissionais da área de comunicação.

Fonte: Boletim Salesiano Brasil – Diretrizes.

 

Conteúdo básico e fontes de informação

O conteúdo do Boletim Salesiano é formado por: experiências e notícias da vida e da ação salesiana no Brasil e no mundo; reportagens e artigos sobre a realidade juvenil, salesiana, eclesial e social; e matérias de promoção vocacional e missionária.

As fontes de informação são constituídas prioritariamente pelos correspondentes das inspetorias e dos grupos da Família Salesiana. Estes correspondentes garantem a sintonia do BS com os demais projetos e programas na área de comunicação de cada inspetoria e ramo da Família Salesiana.

Fonte: Boletim Salesiano Brasil – Diretrizes.

 

Uma nova proposta para o Boletim Salesiano Brasil

Receba nossa Newsletter

Visitantes do site

Temos 209 visitantes e Nenhum membro online

Busque por data

« Junho 2017 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30    

Comentários