Segunda, 10 Dezembro 2012 23:54

Incêndios nas Favelas de São Paulo

Escrito por
Classifique este artigo
(1 Voto)

 

Uma visão de quem está vivendo numa das maiores favelas da cidade de São Paulo: Ir. Maria Genoveva Correa, salesiana integrante da Comunidade Intercongregacional na Favela da Vila Prudente; André Delfino da Silva, coordenador do Movimento de Defesa dos Favelados (MDF) e Raimundo Delfim, advogado – vice-presidente da Associação Nova Heliópolis e coordenador geral da Central de Movimentos Populares do Estado de São Paulo (CMP-SP).

 

 

Estão se tornando rotina os incêndios nas favelas da cidade de São Paulo. É muito triste assistir às chamas destruindo lares simples, feitos de madeira, construídos com muito suor e sacrifício por famílias que não tiveram apoio do poder público no acesso à moradia digna.

Os incêndios provocam efeitos nefastos. Além de deixar a família sem um teto, causam a perda de vaga nas creches e escolas dos filhos e, na maioria dos casos, a perda total dos bens materiais, conquistados, após muitos anos de trabalho.

Até o mês de setembro, foram computados trinta e quatro incêndios em favelas, causando enorme angústia para aproximadamente dois milhões de pessoas que habitam as 1.565 favelas da cidade de São Paulo. É muita coincidência a existência de uma onda de incêndio em favelas paulistanas em um momento de enorme valorização imobiliária. E os incêndios ocorrem justamente nas proximidades das operações urbanas, nos locais mais cobiçados pelo mercado imobiliário.

 

Classifique este artigo
(1 Voto)

 

Estima-se que mais de 70 mil pessoas morem no Jacarezinho, na capital do Rio de Janeiro. A população enfrenta vários problemas sociais, como a precariedade na saúde pública, a violência e a inexistência de educação pública que atenda a população. É neste cenário que os salesianos se fazem presentes junto aos jovens.

 

Na década de 1950, o padre salesiano Nelson Carlos Del Mônaco visitou pela primeira vez o Jacarezinho, a segunda maior comunidade da capital do Rio de Janeiro e também da América Latina. Lá viu que os trabalhos dos salesianos poderiam ser muito produtivos, sendo que a população necessitava (e necessita) de amparo. O salesiano começou o empreendimento com a ajuda de alguns empresários e, poucos anos depois, estavam prontos o prédio da escola e uma paróquia – única igreja católica no local.

No alto da residência, onde atualmente estão os padres Antônio Maria de Ávila, Dário Ferreira da Silva e Carlos Sebastião da Silva, é possível ver uma parte da comunidade, na zona sul do Rio de Janeiro. A presença salesiana no coração do Jacarezinho leva o título de Obras Profissionais Santa Rita de Cássia, e se divide na Escola Alberto Monteiro de Carvalho e na Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora. A escola conta hoje com 255 alunos e 26 educadores; já a paróquia possui atividades para toda a comunidade, que participa especialmente das pastorais e do Oratório.

A escola passou por uma reestruturação recente, com a construção de um prédio de três andares, instalações, salas de aula e mobiliário novos. Durante a construção, a coordenadora administrativa da escola, Cristiane Gomes, lembra que houve muitas dificuldades, mas que isso nunca esmoreceu os trabalhos: “Quando algum caminhão tinha que trazer os materiais de construção, por exemplo, precisávamos fechar a rua, pois o espaço era pequeno. Nessas situações tínhamos de conversar com os comerciantes, moradores e até mesmo com os traficantes”, relembra.

 

Classifique este artigo
(0 votos)

A Escola Dom Bosco de Corumbá, MS, recebeu, entre os dias 22 e 23 de outubro, o 5º Encontro Inspetorial da Rede Salesiana de Ação Social (EIRESAS), que reúne representantes de todas as obras sociais da Missão Salesiana de Mato Grosso (MSMT). O Encontro, realizado anualmente em nível nacional e regional, teve por objetivo, nesta edição, esclarecer sobre as adaptações à lei de atendimento aos serviços sócio-assistenciais e a formação cidadã e cristã com o sistema educativo preventivo Dom Bosco que trabalha o amor, religião e carinho como bases para a vida.

 

"O público alvo foi de coordenadores e educadores ligados diretamente aos projetos sócio-assistenciais da Missão Salesiana. Nosso objetivo  foi a formação dos educadores quanto à tipicidade desse tipo de serviço. A maior preocupação, além da formação, foi também com a socialização dos trabalhos desenvolvidos pelas unidades. A partir dela será possível apontar os desafios e avanços que estamos tendo ao longo do tempo", explicou o diácono Ângelo César Cenerino, diretor do Centro Juvenil de Poxoréu, MT.

 

O congresso também buscou a definição da programação de serviços de toda a Rede Salesiana para 2013. Durante o 5º Encontro Inspetorial foram debatidos, ainda, a presença salesiana e seu trabalho social nos estados de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso; o trabalho social da Missão; modelos de ação social a partir das boas práticas existentes nos estados; maior visibilidade ao trabalho social salesiano e ampliação dos planos de formação para educadores sociais.

 

A presidente do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda), Miriam Maria José dos Santos, foi uma das palestrantes do Encontro da Rede Salesiana. "Existe uma normatização que diz como os serviços da assistência social devem ser ofertados às crianças e adolescentes. O público que temos de trabalhar deve ter um olhar diversificado, pois trabalhamos com crianças vítimas e em situação de vulnerabilidade social, como violência doméstica, abuso sexual, trabalho infantil, crianças que estão fora da escola. Precisamos trabalhar com a centralidade da família, pois, quem tem o dever de proteger essas crianças são os pais, os familiares. Devemos apoderar esses responsáveis por essa conscientização, protegendo e orientando assim esses menores", disse a palestrante.

 

Ações salesianas em Corumbá

Atualmente Corumbá possui cinco projetos sociais salesianos em execução: Projeto Criança e Adolescente Feliz (Cidade Dom Bosco); Adolescente Aprendiz (Cidade Dom Bosco), Adoção à distância (Cidade Dom Bosco), Formando Cidadão (Colégio Santa Teresa) e Geniquinho (Colégio Imaculada Conceição).

 

Missão salesiana do Mato Grosso

 

 

Classifique este artigo
(0 votos)

Entre os dias 20 de setembro e 6 de outubro, as unidades do Colégio Dom Bosco de Piracicaba, Cidade Alta e Assunção, realizaram a 24ª edição da Semana Olímpica Salesiana. Mais de dois mil alunos da educação infantil ao ensino médio participaram e deram provas de que o esporte e a solidariedade devem ser práticas e experiências diárias para a vida de todos. Quatro grandes equipes foram formadas, tendo como premissa os quatro elementos da natureza: Terra, Fogo, Água e Ar. Mais uma vez o evento abriu espaço para a valorização pessoal, a solidariedade, a interação, a diversão e o respeito. Ao final, todos os alunos receberam medalhas, não só os que foram campeões, como também os alunos da educação infantil e 1° ano do ensino fundamental, que receberam medalha de ouro pela participação em atividades e modalidades com conotação recreativa e solidária.

 

Duas semanas de atividades

Os alunos dos ensinos fundamental II e médio participaram das atividades esportivas de handebol, futebol, basquete, vôlei, queimada, tênis de mesa e badminton. Foram praticamente duas semanas de intensas atividades esportivas, com direito a torcidas e muita emoção em cada jogo, incluindo a Prova Solidária organizada pela equipe da Pastoral, que foi outro sucesso de participação, arrecadação e número de entidades beneficiadas.

 

Prova Solidária

No Dom Bosco Cidade Alta, a equipe que mais arrecadou caixas de leite longa vida foi a equipe Água, com 713 unidades, seguida pelas equipes Ar, com 587 unidades; Terra, com 586 unidades; Fogo, com 544 unidades; e Dombosquinho, com 454 unidades; totalizando 2.884 litros de leite.  No Dom Bosco Assunção, o resultado ficou assim: Fogo, 637 unidades; Ar, 629 unidades; Terra, 563 unidades; e Água, 546 unidades; totalizando 2.375 litros de leite. Na avaliação final da Equipe de Pastoral, todas as equipes atingiram e superaram a meta, que era de 400 litros por equipe.

 

Entidades beneficiadas

Nas duas unidades do Colégio Dom Bosco  foram arrecadados 5.259 litros de leite, distribuídos às seguintes entidades: Lavita (atende a 20 idosos); Lar Betel (atende a 98 idosos); Apasp (atende a 72 crianças com deficiência auditiva); Centro de Reabilitação Piracicaba (atende a 500 crianças e adolescentes com deficiência física e mental); Lar Franciscano de Menores (orfanato que atende a 16 crianças); Pastoral da Criança da Diocese de Piracicaba (atende a 380 crianças de 0 a 6 anos); Creche Branca Azevedo (atende a cem crianças); Lanisa (ajuda 50 famílias com cestas básicas mensais); Lar Escola Coração de Maria Nossa Mãe (atende a 250 alunos e 50 crianças por dia).

 

Também foram incluídas na partilha das doações a Pastoral da Criança da Paróquia São Francisco Xavier (que acompanha mensalmente mais de mil crianças de 0 a 6 anos); a UNIAP (com 102 pessoas diagnosticadas com câncer) e a VACIP, que também auxilia, com cestas básicas, cerca de 50 pessoas portadoras de câncer. 

 

RSE Informa

Classifique este artigo
(1 Voto)

A obra social salesiana “Escola da Colônia”, localizada em Jaboatão, recebeu do Consulado da Alemanha o financiamento para todo material esportivo, incluindo esportes de campo, de mesa, jogos parados e judô . No dia 08 de outubro, a escola recebeu a placa oficial da parceria e os materiais comprados.


O Projeto denominado “Rumo ao Futuro”, atenderá 245 crianças e adolescentes na faixa etária de 6 a 16 anos de ambos os sexos, residentes nas proximidades da Escola – área rural do município de Jaboatão dos Guararapes (região metropolitana de Recife/PE) e tem por objetivo contribuir para o desenvolvimento integral do seu público, através da educação, dos esportes, do brincar formativo em espaço dinâmico de expressão, interação e proteção social. “A escola já tinha o espaço físico e funciona em tempo integral com várias atividades, ter os equipamentos adequados e de primeira qualidade é um sonho realizado”, afirmou Pe. Eliano Queiroz, diretor da obra.


No dia 11 de outubro, durante a festa das crianças, o Consulado foi oficialmente visitar a obra, através de seu representante,  Sergio Poggi. Este se apresentou às crianças explicando que era um “representante do povo da Alemanha” e em poucas palavras esclareceu aos estudantes o que era um consulado: ‘um pedacinho de outro país no seu país’. Ele também externou sua alegria pela ocasião, elogiou a qualidade escrita e técnica do projeto e recomendou a importância de se fazer bom uso dos equipamentos, para que sirvam a estas turmas e às próximas. Na ocasião foi lido um jogral de agradecimento, com representantes de todas as séries da escola. Logo após, foi realizado um desfile com exemplares do material esportivo comprado para que todos, alunos e convidados, pudessem conhecê-lo. Também a avô de três alunos e de uma ex-aluna, Sra. Maria de Lourdes Santana, fez questão de declamar um poema em agradecimento e valorizar a importância da escola para a comunidade local. Encerrando o momento solene, as crianças fizeram uma encenação baseada no tema do mês de outubro da escola, sobre a importância da alegria e do sorriso, utilizando a música do padre Zezinho “Amar como Jesus Amou”.

 

Enquanto as crianças continuaram  suas festividades, com direito a palhaços, algodão doce, pipoca e muitas brincadeiras, fez-se uma rápida visita de verificação dos materiais comprados e conhecimento das instalações dos jogos de mesa e tatames. Informalmente, Sérgio mostrou-se emocionado e satisfeito com o que viu, e reforçou o que já havia constatado na primeira visita, feita de surpresa alguns dias antes, elogiando desde a limpeza à educação e disciplina das crianças: “vocês estão de parabéns, eu estou muito feliz do Consulado ter aprovado este projeto para apoiar esta obra” afirmou.

 

Há muitos anos, o Governo da República Federal da Alemanha concede, no âmbito da Cooperação Técnica e Financeira, apoio financeiro a projetos de pequeno porte por intermédio dos Consulados-Gerais em Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo.

 

 

Pagina 26 de 27