Quarta, 26 Abril 2017 12:29

Caminhando juntos: Incentivo à Pastoral Juvenil e à Ação Social

Escrito por  Equipes de Comunicação das Inspetorias SDB
Classifique este artigo
(0 votos)

Em uma visita de 40 dias ao Brasil, padre Daniel García Reynoso, membro do Dicastério para Pastoral Juvenil, veio acompanhar a animação pastoral e aprofundar seus conhecimentos junto às coordenações inspetoriais da Rede Salesiana Brasil de Ação Social (RSB-Social). Padre Daniel é mexicano e, como membro do Dicastério coordenado pelo padre Fabio Attard, está designado para acompanhar e animar o continente americano (regiões Interamérica e Cone Sul).

Sua chegada foi em Brasília, onde encontrou-se com padre Agnaldo Soares de Lima, diretor executivo da RSB-Social, para entender o funcionamento desta área no País. Em seguida, visitou as inspetorias São João Bosco (Belo Horizonte); Salesiana São Pio X (Porto Alegre); Nossa Senhora Auxiliadora (São Paulo); Santo Afonso Maria de Ligório (Campo Grande); São Luís Gonzaga (Recife) e São Domingos Sávio (Manaus).

Nas inspetorias salesianas do Brasil, ele participou de uma série de reuniões junto aos educadores e educandos das obras sociais, conversou com os grupos de pastoral, esteve em um encontro nacional com jovens das várias regiões e conheceu o trabalho missionário salesiano junto aos indígenas da região do Alto Rio Negro, na Amazônia. Leia a seguir alguns trechos dessas entrevistas e palestras:

 

Motivações para a visita

“Passado o encontro que tivemos em outubro, dos delegados para a Pastoral Juvenil da América Cone Sul, falando sobre a animação que necessita o setor da Ação Social, os delegados de Pastoral das seis inspetorias dos Salesianos de Dom Bosco do Brasil me convidaram a fazer uma visita de animação. Para entender o que é a Rede Salesiana Brasil de Ação Social e também para aproximar-me das realidades vividas pelos delegados.”

 

Pastoral Juvenil Salesiana no Brasil

“Se vê uma Pastoral muito coordenada, muito organizada, fruto da Rede e, particularmente, no que se refere às obras sociais vê-se uma identidade clara. Sei que estão trabalhando nela, definindo muito bem os seus critérios. Vejo um trabalho muito bonito, de muita resposta, de muito impacto social. Vejo irmãos e irmãs muito entregues, porque pude partilhar e conhecer suas realidades.”

 

Dimensão pastoral nas obras

“Quando uma paróquia está mais preocupada com o sacramental pode perder de vista a dimensão pastoral, evangelizadora. Quando uma escola está dedicada somente aos novos modelos pedagógicos e não cuida da pastoral como nós salesianos a entendemos, pode ser que a religião seja incluída somente como instrução, sem levar nossos colaboradores e alunos a uma experiência de Deus. Quando um centro juvenil ou uma obra social só responde às necessidades assistenciais, que são tão grandes e tão fortes, pode perder a dimensão pastoral, a maneira de ler a realidade à luz do Evangelho, ajudando os meninos e as meninas a superar seus conflitos pessoais, sociais e familiares.”

 

O trabalho social no Continente

“O paradigma é o oratório. Então é preciso ‘ler’ o que estamos fazendo nas presenças à luz do oratório, que tem a ver com a atenção aos mais necessitados. Algumas vezes chamamos de jovens ‘pobres’, outras vezes ‘preferenciais’, outras ‘mais vulneráveis’… os termos mudam, mas o importante é que permanece o paradigma do oratório, da atenção com os meninos que Dom Bosco encontrou nas ruas e nas prisões de Turim. O oratório é uma chave de leitura que vejo em todo o mundo, um paradigma que continua nos dando respostas.”

 

Bons cristãos e honestos cidadãos

“Também vejo como muito interessante no continente americano uma grande preocupação em aproximar as obras sociais pelo tema pastoral. Fruto da reflexão do nosso Quadro de Referência e da resposta aos convites feitos pelo Papa Francisco e pelo Reitor-mor, há ao menos a preocupação de encontrar um eixo de evangelização. Assim, conjugam-se muito bem os dois termos que temos de “bons cristãos e honestos cidadãos”, em todos os lugares: no trabalho com os refugiados e imigrantes, com os meninos de rua, com os meninos-soldados. Estamos sempre caminhando nesse sentido de unir a ação social e a evangelização.”

 

Pastoral nas missões

“Eu tinha o propósito de ter a experiência missionária que tanto ouvi falar de meus irmãos. E foi uma benção estar em São Gabriel, em Maturacá. Pude compreender melhor o significado de distância, de tempo. A cultura Yanomami me encantou, foi muito significativo estar com eles. Outra experiência surpreendente foi presenciar a fé do povo em uma festa tão bela como a de São José. Mesmo debaixo de chuva, centenas de pessoas acompanharam a procissão e ficaram depois para a missa. Nunca havia vivido experiência assim como sacerdote.”

 

Educadores salesianos

“Para os que estão iniciando o trabalho de educadores salesianos, considero que é preciso entender a linguagem dos jovens, conhecer as condições como vivem, gostar do que eles gostam, caminhar junto, propor experiências e desafios para ajudá-los a pensar. Saber escutá-los, saber olhar e reconhecer no próprio jovem o alimento que ajuda na forma de educar, de evangelizar. Não se pode entrar na vida desses jovens como franco-atiradores, mas sim para ganhar a confiança deles, entendendo suas necessidades. Ou seja: é preciso apresentar aos educadores que estão chegando a vida de Dom Bosco.”

 

Acompanhe a visita de padre Daniel 

 

Inspetoria São João Bosco: Pastoral em Rede

Foi realizado entre os dias 15 e 17 de fevereiro, na Casa de Retiros São José, em Belo Horizonte, MG, o Encontro Inspetorial de Pastoral em Rede. O evento reuniu os membros de seis comissões inspetoriais: Ação Social, Animação Missionária, Comunicação Social, Escolas e Ensino Superior, Inculturação e Paróquias.

No dia 16, a missa de abertura dos trabalhos foi celebrada pelo padre Daniel García, do Dicastério da PJS. No dia seguinte, 17, ele orientou a formação sobre “O acompanhamento pastoral à luz do Magistério do Papa Francisco e na perspectiva do Sínodo dos Jovens”. “Estou na ISJB compartilhando um pensamento atual sobre a pastoral e o acompanhamento. Pude dividir algo que já venho refletindo. Foi muito importante esta convivência com os salesianos e com os leigos e também com os jovens das duas unidades (Cesam-DF e Casa Dom Bosco) que visitei”, disse. Após a palestra do padre Daniel, finalizando o encontro, foi feita a partilha dos assuntos discutidos pelas comissões.

 

Inspetoria São Pio X: Incentivo aos jovens

Em sua passagem pelos estados do sul do País, padre Daniel García conheceu várias obras e colégios. Um deles foi o Colégio Dom Bosco de Porto Alegre, RS, que recebeu o responsável pela Pastoral Juvenil Salesiana na América no dia 20 de fevereiro. O religioso conheceu a equipe, as instalações da escola e esteve presente junto aos alunos do Curso Técnico Profissional Gráfico. Com a turma, conversou sobre a importância de “sonhar grande e ter sentido na vida, para crescerem e amadurecerem como protagonistas de uma história rica para todos”.

Antes, padre Daniel já havia participado da Reunião das Equipes Estaduais da Animação Missionária Juvenil, realizada nos dias 18 e 19 de fevereiro. Os assessores dos três estados do sul reuniram-se para a preparação dos projetos missionários de julho, que devem envolver cerca de 180 adolescentes e 40 assessores. Padre García presidiu a Eucaristia da manhã de domingo e transmitiu aos jovens assessores uma mensagem de incentivo ao trabalho realizado para a evangelização da juventude.

 

Inspetoria Nossa Senhora Auxiliadora: Encontro com a PJS

Em 22 de fevereiro, a Pastoral Juvenil da Inspetoria Salesiana de Nossa Senhora Auxiliadora, em São Paulo, realizou um encontro com coordenadores e assessores de Pastoral que contou com a presença do padre Daniel García, do Dicastério para a Pastoral Juvenil Salesiana.

Pela manhã, padre Daniel falou aos presentes sobre “O acompanhamento pastoral no magistério do Papa Francisco”, recorrendo ao que o Papa escreveu sobre o tema na Evangelli Gaudium e na Amoris Laetitia e agora no que propõe para o Sínodo dos Jovens na Fé e Discernimento Vocacional.

À tarde, sob a coordenação do delegado inspetorial para a PJS, padre Roque Sibioni, foi apresentado e entregue para os salesianos presentes e assessores leigos o PEPSI (Projeto Educativo-Pastoral Salesiano Inspetorial). Também foi reforçada a importância de conhecer, estudar e aplicar o Quadro de Referência da Pastoral Juvenil Salesiana e foram apresentados os projetos propostos para a PJS no ano de 2017.

Saiba mais clicando aqui

 

Inspetoria Salesiana de Campo Grande: Partilha e testemunho

Em Campo Grande, padre Daniel García Reynoso contou com uma animada recepção dos participantes do “Terço Jovem”, da Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora. No sábado (25), os participantes partilharam testemunhos e rezaram com o padre Daniel a oração do santo rosário. Em seguida, acompanharam a sua palestra e participaram de celebração eucarística.

Durante os dias da visita, padre Daniel foi às obras sociais, como o Salesianos Ampare e a Casa Dom Bosco, onde conversou com educadores e educandos para conhecer a atuação social da Inspetoria. Também conheceu o Museu das Culturas Dom Bosco e a Universidade Católica Dom Bosco (UCDB).

O que mais o impactou na Inspetoria Salesiana de Campo Grande foi ver a preocupação concreta em oferecer educação e carinho aos jovens da periferia. “Os educadores demonstram muito afeto pelos jovens mais necessitados, eles entregam generosamente o melhor de si para os jovens. Nesses espaços educativos, muitas crianças, adolescentes e jovens recebem o testemunho de excelentes pessoas, que conseguem contagiá-los com a sua fé, esperança e caridade”.

Saiba mais clicando aqui

 

Inspetoria Salesiana do Nordeste: “Um banho de salesianidade”

Na Inspetoria do Nordeste do Brasil, onde esteve entre os dias 1º e 9 de março, padre Daniel García pode participar da reunião da Comissão Inspetorial de Ação Social e visitar as obras salesianas de Recife (Escola Dom Bosco), Jaboatão (Escola da Colônia e Oratório) e Natal (Centro Educacional Dom Bosco). Também participou da reunião do Conselho Nacional da AJS e da Comissão Nacional para a Pastoral Juvenil Salesiana, que foram sediadas em Jaboatão dos Guararapes, PE.

Segundo o padre Daniel, nos jovens, adolescentes e crianças mais pobres pode-se ver Deus refletido. Nesse sentido, a experiência vivida pelas inspetorias do Brasil tem sido “um banho de salesianidade”. “O exercício de acompanhamento e a proximidade com os delegados de pastoral é uma ótima oportunidade; a experiência com as obras e serviços da RSB-Social é muito oportuna, com muitas aprendizagens; e a oportunidade de falar com educadores, comissões de pastoral, equipes e inspetores, uma benção!”, conclui.

 

Inspetoria Domingos Sávio: Experiência missionária

Durante sua estada na região amazônica, padre Daniel visitou obras sociais como o Pró-Menor Dom Bosco, onde participou do ‘Bom Dia’ e conversou com os jovens, incentivando-os a serem alegres, como foram Dom Bosco, Domingos Sávio e Laura Vicuña. Padre Daniel reuniu-se com a equipe de Ação Social da Inspetoria, que apresentou a ele a realidade dos jovens ribeirinhos e de áreas de risco atendidos pelas obras sociais. As assistentes sociais Angela de Almeida e Josefa (Vera) Sampaio, representantes das inspetorias dos Salesianos (SDB) e das Filhas de Maria Auxiliadora (FMA), mostraram o trabalho integrado nas áreas de filantropia, ação social e captação de recursos.

O compromisso final de padre Daniel Reynoso na Amazônia, nos dias 12 a 19 de março, foi a visita à Missão Salesiana de Maturacá, entre o povo indígena Yanomami. Foi acompanhado pelo padre Antonio de Assis Ribeiro (Pe. Bira), referente da Pastoral Juvenil para os SDB no Brasil. “Visitamos quatro comunidades, que nos permitiram ter uma experiência muito enriquecedora. O povo Yanomami e a comunidade salesiana nos acolheram com muita alegria e generosidade”, conta padre Bira.

A região em que está a missão é de grande beleza natural; o povo é afetuoso e luta para superar seus desafios por meio da educação, sempre conservando seus valores culturais: atualmente, todos os professores dessa aldeia são indígenas Yanomami graduados. “Contemplamos também muitas necessidades materiais e de recursos humanos. Um campo aberto para a solidariedade. Com certeza, foi uma experiência pastoral e de apoio aos irmãos em missão”, conclui padre Bira.

Saiba mais clicando aqui

 

Lido 411 vezes Modificado em Quarta, 26 Abril 2017 18:56

Deixe um comentário