Segunda, 10 Abril 2017 13:37

Parque Dom Bosco comemora 56 anos em Itajaí

Escrito por  Comunicação – Parque Dom Bosco
Classifique este artigo
(0 votos)

O Parque Dom Bosco é uma das obras salesianas que desenvolvem um bonito trabalho de formação e resgate da autoestima com crianças, adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social.

O Instituto Lar da Juventude de Assistência e Educação, conhecido como Parque Dom Bosco, localizado em Itajaí, SC, completou 56 anos no dia 25 de março. Fundado em 1961 pelo irmão salesiano Aquilino Minella, o então Parque da Juventude Dom Bosco foi criado como oratório festivo nas proximidades do bairro Matadouro. A partir de 1963, o Parque agregou o caráter social, oferecendo cursos de corte e costura, barbeiro, serviços de farmácia e ambulatório. Com o passar do tempo, outros cursos foram abertos, como artes gráficas, mecânica automotiva, marcenaria, cabelereiro, informática, panificação, horta, datilografia, assistente administrativo e logística.

Hoje, em parceria com a Prefeitura de Itajaí, através das secretarias de Educação e da Criança, do Adolescente e Juventude (SECAJ), tem mais de 750 alunos. Por meio do Programa Oficinas Alternativas, oferece atividades de contraturno escolar para crianças entre 6 e 13 anos, que visam contribuir diretamente para o desenvolvimento de competências e habilidades, ampliação do universo cultural e favorecimento da convivência em grupo.

Já em seu Programa de Qualificação Profissional e Integração ao Mundo do Trabalho, atende jovens entre 13 e 24 anos, oferecendo cursos profissionalizantes. O Programa Jovem Aprendiz conta com a parceria de mais de 40 empresas privadas e tem como objetivo inserir adolescentes e jovens no mercado de trabalho, aliando teoria e prática no processo de ensino-aprendizagem.

“O Parque Dom Bosco para mim é um lugar mágico, onde posso fazer amigos e participar de atividades, ter professores legais, comer comidas maravilhosas, brincar com meus amigos em um pátio enorme, estudar e aprender coisas novas”, afirma Yasmim Bretas, da Oficina de Artesanato. Sthephany Gozzi, do Programa Jovem Aprendiz, também destaca a alegria de estar no Parque: “Esta instituição, que acredito ter o direito de chamar de família, vem cada vez mais me encantando com a sua forma de tratar a todos. O PDB é como uma segunda casa, um lugar onde me sinto acolhida há quase sete anos. O ambiente familiar e confortável não muda, somos sempre tratados como filhos”.

Lido 1185 vezes

Deixe um comentário