Segunda, 16 Setembro 2013 19:08

Sistema salesiano: décadas de trabalho e sucesso em Belo Horizonte

Escrito por  Equipe de Comunicação da ISJB
Classifique este artigo
(0 votos)
Centro Juvenil - ISJB Centro Juvenil - ISJB

“Essa querida juventude foi sempre terno objeto de minhas ocupações, dos meus estudos, do meu ministério sacerdotal e da nossa congregação”: assim Dom Bosco sintetizou seu trabalho. Hoje, mais de 100 anos após seu falecimento, seu plano de educação, ação social e evangelização da juventude gera novos frutos a cada dia. Em Belo Horizonte, MG, três obras salesianas são exemplo disso. Em 2013, a Inspetoria São João Bosco (ISJB) celebra oficialmente os 40 anos do Cesam-MG, os 25 anos do Centro Juvenil Dom Bosco e os 25 anos do Programa Dom Bosco. Conheça um pouco mais dessas obras:

Cesam-MG

O Centro Salesiano do Adolescente Trabalhador (Cesam-MG) foi fundado em 1973 com o compromisso social de dedicar-se à capacitação profissional e cidadã da juventude. Ao longo desses 40 anos de atuação, milhares de adolescentes e jovens já foram beneficiados e, com o auxílio da unidade, muitos hoje têm uma história de sucesso profissional e pessoal.

Atualmente, o Cesam-MG atende cerca de 1.300 adolescentes e jovens, de 15 a 24 anos. Eles são acolhidos e inseridos no mercado formal de trabalho por meio de um programa de aprendizado, em consonância com a legislação trabalhista vigente. Todas as atividades realizadas nas empresas são acompanhadas por educadores da unidade.

Todo mês, centenas de adolescentes e jovens procuram o Cesam-MG na expectativa de uma oportunidade para o primeiro emprego. Os que atendem ao perfil estabelecido (faixa etária, renda familiar de até meio salário-mínimo por pessoa, escolaridade e situação de vulnerabilidade social) passam por um processo de acolhida realizado pelo serviço social da unidade. Após essa etapa, eles são encaminhados para um curso de aprendizagem e inseridos no mercado de trabalho com todos os seus direitos assegurados.

 

Centro Juvenil Dom Bosco

Da preocupação com a situação de risco pessoal e social em que viviam as crianças e os adolescentes do Aglomerado Cabana, onde fica a paróquia salesiana Cristo Luz dos Povos, nasceu, em dezembro de 1988, o Centro Juvenil Dom Bosco.

O Aglomerado Cabana está situado na região oeste de Belo Horizonte e possui cerca de 80 mil habitantes, em sua maioria afrodescendentes. A comunidade local enfrenta problemas como desemprego, baixa escolaridade, inserção informal no mercado de trabalho, alcoolismo e uso de drogas. O Centro Juvenil insere-se nessa realidade oferecendo atividades diversificadas no contraturno escolar. Diariamente, cerca de 320 crianças e adolescentes, entre 6 e 16 anos, são atendidos na unidade, realizando em horário complementar ao da escola atividades esportivas, culturais, de lazer, inclusão digital e acompanhamento psicológico, entre outras. A unidade trabalha ainda na perspectiva do fortalecimento dos vínculos familiares e sociais, a fim de subsidiar as famílias no seu papel de formar, educar, proteger e acolher os jovens.

 

Programa Casa Dom Bosco

Na década de 1980, o Brasil assistiu a um crescimento elevado de crianças e adolescentes em situação de rua. Diante disso, em 1987, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lançou para a Campanha da Fraternidade daquele ano o tema “A Fraternidade e o Menor”, seguido do lema “Quem acolhe o menor a mim acolhe”. A Igreja Católica iniciou assim um movimento para reverter essa situação.

A Arquidiocese de Belo Horizonte, então, confiou aos salesianos a direção de um projeto recém-criado que garantisse assistência básica a crianças e jovens que viviam nas ruas da cidade. Nasceu assim o Programa Casa Dom Bosco, com o objetivo de oferecer moradia, alimentação, segurança, afeto e uma nova oportunidade de vida a eles.

Na década 1990, o programa passou por algumas adequações. Em 1993, em conformidade com o Estatuto da Criança e do Adolescente, passou a funcionar como um abrigo provisório, atendendo adolescentes entre 12 e 18 anos do sexo masculino. Em 1999, foi identificada a necessidade de um espaço de acolhimento institucional mais provisório que o abrigo, que permitisse um possível retorno do adolescente para a sua família antes do abrigamento definitivo. Surgiu então a Centro de Passagem. Atualmente as duas unidades funcionam em parceria com a Prefeitura de Belo Horizonte, atendendo 30 adolescentes (sendo 15 no abrigo e outros 15 no centro de passagem). Os 25 anos do Programa, completados em 2012, estão sendo comemorados este ano.

Lido 2386 vezes

Deixe um comentário